O Rottweiler

UM POUCO SOBRE A RAÇA ROTTWEILER

 

Os requisitos para se criar bem à raça são os inerentes as demais, isto é, conhecer muito as caraterísticas da raça, o seu padrão e o seu comportamento.

 

Uma das primeiras preocupações é com a venda bem feita, pois ele é um cão que precisa de um dono que tenha sobre ele o comando, pois, caso contrário, ele será o comandante. Mas esta dominância deve ter o aspecto de respeito e confiança, nunca o medo. Ter determinação e voz de comando para reprimindo os erros sem violência e festejar os acertos. Assim moldar o cão e torná-lo um bom e feliz seguidor das regras domésticas. O Rottweiler como todo cão sente-se melhor com a estrutura hierárquica bem definida, diferente de nós humanos, a democracia lhe perturba, igualzinho a estrutura de matilha de seus amigos lobos. Portanto ele vai adorar seguir o líder, mas o bom líder, qual seja: aquele que passa confiança, que não hesita e que é coerente. Portanto não engane seu Rott e nem finja para conseguir as coisas. Se você vai jogar uma bolinha, leva-lo para passear, ficou incomodado com uma travessura, faça exatamente; não lhe sirva com meias verdades. Diferente de nós ele dificilmente entenderá o “mais ou menos” ou o “hoje pode, amanha não”.

 

 

 

Há muitos anos a nossa técnica de venda é um pouco diferenciada, pois dificilmente vendemos um cão por telefone – hoje temos os sites – mas mesmo assim o CONTRATO DE COMPRA E VENDA é imprescindível. O pretendente é convidado a conhecer nosso canil e aquilo que estamos produzindo, da maneira que o fizemos e, principalmente, o comportamento de nossos cães frente a estranhos. Sempre solicitamos que o pretendente venha acompanhado de sua família, pois nada mais errado que efetuar uma venda de um cão quando não existe o consenso da família, o que é bastante comum.

 

Entre algumas observações constantes do padrão no quesito comportamento e caráter, diz:

“ é, basicamente, amigável e pacífico, muito apegado, adora crianças.”

 

 

Isto é não retórica, pois poderíamos narrar vários fatos de rottweilers que são os grandes companheiros das crianças da casa. Alguns de nossos cães tiveram um adestramento específico de obediência, apresentação em pistas e raros deles para proteção e defesa, mas na maioria das vezes basta educá-los desde pequenos aos comandos de obediência e socialização. Em última análise cão é como criança e se for permitido que façam tudo enquanto pequenos, será muito difícil corrigir quando maiores. Todos nós conhecemos aquelas “adoráveis criancinhas” que, quando enxerga um cão já vem de dedo em riste, procurando os olhos e o nariz da “vítima”. O rabo do cão também é um alvo que estimula “as gracinhas”. Tem algum cão, ou outro animal qualquer que tolere isto? Portanto a garotada precisa respeitá-lo.

 

Por seu histórico de fidelidade ao homem – pois foi e cão o primeiro animal a ser domesticado – via de regra adota o temperamento do proprietário. Nesse sentido seria melhor dizer: – o cão é fruto da educação que lhe foi dada. Se educado para ser agressivo tende a ser agressivo mesmo o dono sendo uma pessoa pacífica. Por isso o cuidado com o futuro dono e sua família.

 

O rottweiler é um cão de trabalho, portanto ele precisa de um bom espaço onde possa se movimentar livremente, fazer tração e longas caminhadas. Na Europa ele era muito utilizado puxando o arado e pequenas carroças para o transporte de produtos agrícolas. Historicamente exerceu também a lida do gado e sua proteção, embora hoje, a função de pastoreio seja realizada mais eficientemente por outras raças.

 

 

 

Muitas vezes fomos questionados sobre o Rottweiler ser discreto, e se realmente ele late pouco. Claro que não chega a ser um Akita, conhecido como um dos mais silenciosos, mas está longe de ser um Pastor Alemão ou um Dobermann, que fazem um bom estardalhaço.

Digamos que algum desconhecido pare em frente a sua casa, ele certamente irá latir, mas dificilmente se este estiver de passagem, sendo assim, é uma raça cujo alarme merece ser verificado.

No quesito APARÊNCIA GERAL, seu padrão preconiza:

 “é um cão robusto, porte de médio para grande, sem ser leve, grosseiro, pernalta ou esguio. Sua estrutura, em proporções corretas, forma uma figura compacta, forte e bem proporcionada revelando potência, agilidade e resistência.”

Portanto aparência leve, pernalta, ossatura fraca, falta de dentes (tem que ser os 42 dentes e a mordedura em tesoura) olhos muito claros, focinho comprido e fino, lábios cor de rosa. A cor não sendo preta com marcações em castanho escuro e bem definidas, estas e outras faltas são desclassificantes e indicam a má qualidade da raça.

A compra de um bom filhote passa sempre pela visita ao maior número de canis, pois é lá que se pode avaliar uma criação e, inquestionavelmente, nunca numa feira, este câncer que grassa em nosso meio, com um total descaso das autoridades competentes.

Os detalhes técnicos da raça devem ser procurados em seu Padrão Oficial junto ao site da CBKC, grupo dois, raça ROTTWEILLER: http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo2/rottweiler.pdf

 

A cinofilia, segmento que trata da criação de cães de raça pura, existe desde os idos de 1870, iniciando-se na Inglaterra e, desde então, nenhuma raça atingiu um número tão alto de Registros Genealógicos – o “pedigree” – a nível mundial, como a raça rottweiler, atestando assim a sua qualidade como cão de guarda. A COMPRA DE UM CÃO PASSA PELO CONSENSO DA FAMÍLIA e que deve levar em consideração que esta comprando um ser vivo e não uma mercadoria qualquer e que este animal irá viver muitos anos ao lado de seus donos. Independente das informações supra, estamos à disposição de responder as dúvidas que, por ventura, possam existir.

 

 

 

 

Saudações,
Fernando Luiz Franz Moralles